Quando não há ovos, há maçãs

by

Quase sempre, não adianta andarmos à procura daquilo que não existe.
Porque na distração (e frustração) da busca, ignoramos tantas outras coisas que nos servem perfeitamente. E a fotografia não é exceção à regra.

Este ninho com maçãs em miniatura (tudo real) foi-me oferecido no final do passeio fotográfico a Sanábria; por uma pessoa que nem sequer ali estava na condição de participante. Foi uma brincadeira, carinhosamente arquitetada por quem não sentia qualquer tipo de pressão da busca pela foto perfeita, e assim tinha tempo de sobra para um olhar descomprometido e relaxado… para encontrar um ninho abandonado e decorá-lo com pequenas maçãs.
Esta oferta teve a virtude de me pôr a refletir, em jeito de balanço, sobre a atividade fotográfica que agora acabava.

A cores, esta imagem ficava confusa e pouco interessante. Para fotografar a P&B é preciso aprender a ver a P&B.

Os dias foram quase todos iguais, um atrás do outro, sempre soalheiros, de um céu irremediavelmente azul (e os fotógrafos compreenderão o que quero dizer com “irremediavelmente”). Não houve uma ponta de vento, um ligeiro véu de nevoeiro, um gota de chuva que fosse! Neve…, nem vê-la. Ainda que dias assim sejam muito agradáveis para caminhadas, eles representam uma dor de cabeça em termos fotográficos, principalmente quando o tema principal é paisagem e natureza; tudo parece amaciado, brando, seco, plácido, mole… boring, boring, boring! Numa atividade que leva o nome de “Inverno em Sanábria”, onde anda o inverno, afinal? Onde estão os flocos de neve que transformam a paisagem, e os aguaceiros repentinos que engrossam caudais, e o sopro frio do vento que nos refresca as ideias? Como fica, então, o gozo supremo de enfrentar dias rebeldes, de caráter bem vincado? Onde cabe, afinal, o conforto de uma chávena quente entre as mãos gélidas, todo o aroma e sabor de um chocolate quente, ou as bochechas rosadas após um copo de tinto? É que isto são tudo coisas que só sabem bem com um inverno de “i” maiúsculo, como antigamente.

Elementos simples, como rochas e reflexos, funcionam bem a preto e branco.

Mas isto, como dizia, é ansiar pelo que não temos. São lamentações fúteis, porque este inverno está mais seco e é com isto que temos de lidar, fotograficamente falando.
Partindo do princípio básico de que a dificuldade aguça o engenho, é então altura de redirecionar a veia criativa, sintonizar o olhar para coisas simples (tantas vezes ignoradas), adaptar câmara e objetivas a um outro discurso estético.
Nesta linha, surgem de imediato duas boas opções: preto e branco e macrofotografia. Se há coisa que abunda em dias de sol é o contraste – altas luzes e sombras profundas. Podemos então explorar o grafismo da paisagem, as texturas, as formas simples da natureza.

Um ribeiro parcialmente gelado, uma grande angular 12 mm e a opção pelo P&B fazem esta imagem.

Por outro lado, e mantendo o discurso da cor, a macrofotografia permite entrar no microuniverso do gelo, seja no recorte das folhas de carvalho que cobrem o solo, nos pingentes de gelo que brilham à beira-rio, ou nas placas sólidas de poças e lagunas – apenas temos que sondar zonas de sombra ou subir a montanha até aos prados de altitude.

Podemos passar horas de boa fotografia num pequeno charco gelado. O segredo está na busca visual dos detalhes.

E assim, sem lamentações fúteis pelo inverno que desejaríamos, podemos passar um bom bocado a explorar o melhor dos nossos recursos visuais e criativos.
É como encher um ninho de maçãs, à falta de ovos.

Anúncios

3 Respostas to “Quando não há ovos, há maçãs”

  1. Nuno Duarte Santos Says:

    Notável, como sempre.
    Na busca de alternativas e soluções para os imprevistos da natureza. Obrigado!

  2. joabarrote Says:

    Fantástico, vou aproveitar este relato para me inspirar mais logo, quando for para Salto fotografar.
    A ver vamos é se a máquina não congela. Ando a dever uma ida à vossa aldeia.

  3. Miguel Vieira Says:

    A tradição já não é o que era! Antigamente, sempre que viam chegar o António à zona de Sanabria, os locais já sabiam que ia haver neve! 🙂

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: