Herbário

by

Há sítios assim. Tão insólitos como encontrar uma papoila num dia de Outono ou ver cair a neve sobre as folhas tenras na Primavera. Acontecimentos raros mas não impossíveis, que nos fazem olhar o mundo com outros olhos e compreender que tudo é possível. Aconteceu-me isto quando descobri que existia, em pleno Canidelo, Gaia, uma quinta de três hectares com gado barrosão a pastar em lameiros, cavalos à solta e patos longe de gaiolas. Uma enorme surpresa, para quem sempre pensou que a zona fosse sinónimo de construção desenfreada num labirinto de ruas apertadas.
Nessa quinta cultivam-se sobretudo plantas aromáticas e medicinais mas isso não seria nada de extraordinário, não fosse o homem que dirige toda a sinfonia vegetal que ali cresce. É que o Luís não é apenas um agricultor e viveirista, como tão prosaicamente se define, mas um apaixonado por plantas, que consegue transmitir esse amor a todos os que o encontram. Uma visita guiada por ele não se resume a um percurso através de vasos assinalados com nomes tão bonitos como tomilho bela-luz ou apetitosos como mangericão-mel. Através das suas palavras entramos num universo fascinante de sabores, aromas, histórias curiosas e divertidas. E somos convidados a provar o travo familiar da salva-ananás, a cheirar o odor exótico da erva-caril, a conhecer o absinto como excelente repelente de insectos, a admirar plantas exóticas e ainda mais as autóctones, que crescem ao nosso lado sem darmos por isso.
Onde nós vemos uma erva, o Luís vê um poema. Há pessoas assim.

* crónica publicada no Jornal Meia Hora, em Maio 2008

Anúncios

Uma resposta to “Herbário”

  1. Raul Costa Says:

    Obrigado! É bom saber q ainda há cantinhos assim!! Temos de o visitar! Bjs e abr Raul.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: